A ciência das funções do corpo

Um novo livro explora por que você boceja, se coça e solta pum

Por Helena Ometto

http://popscibrasil.uol.com.br/page/4/

14/09/2012

Popular Science Brasil

Robert Provine, o professor de psicologia e neurociência da Universidade de Maryland (EUA) publicou o livro “Curious Behavior: Yawning, Laughing, Hiccupping, and Beyond” (Comportamento curioso: Bocejar, Rir, Soluçar e Mais, em tradução literal), que se propõe a responder algumas das questões mais curiosas da biologia em relação ao comportamento humano. Por exemplo: por que o bocejo é contagioso? Por que choramos em forma de lágrimas? Por que a luz nos faz espirrar? “Meu livro é um catálogo de mistérios humanos, resolvidos e não resolvidos”, diz Provine. “A maioria dessas ações humanas são um mistério desde a antiguidade, e permanecem assim. Para mim, os cientistas estão negligenciando o que é comum”, conta Provine. O livro pretende mudar essa condição, revelando mistérios sobre comportamentos pouco explorados de nossos atos cotidianos, como a coceira e o pum. Acompanhe abaixo o motivo desses comportamentos curiosos.

Flatulência

Flatulência

A flatulência (não adianta negar! Todo mundo tem) é composta principalmente de nitrogênio, oxigênio, dióxido de carbono, hidrogênio e metano. Mas, apesar de 99% dos “puns” envolverem esses gases, nenhum explica o cheiro ruim. Os culpados são as bactérias do intestino, que produzem os gases fedidos. Porém, para Provine, o barulho dos puns levanta a questão mais curiosa: por que não conseguimos falar pelas nádeags? Nosso aparelho vocal não foi criado especificamente para emitir som. Nós aprendemos a falar pelo mesmo orifício pelo qual respiramos, comemos e bebemos. Além disso, as pregas vocais utilizadas para a produção desse som são apenas dois retalhos de tecido muscular que agem como um selo para manter alimentos e bebidas fora das vias aéreas. Nós é que adaptamos esse instrumento biológico para produzir sons. O trato gastrointestinal tem uma estrutura bastante parecida e também é capaz de produzir ruídos, mas na forma de puns. A falta de uma articulação desses ruídos nos impede de efetivamente moldar o som e produzir vibrações em forma de palavras.

Bocejos Bocejo

Os mamíferos e a maioria dos outros vertebrados, incluindo tartarugas, crocodilos, cobras, pássaros e peixes, boceja. Nos seres humanos, o bocejo tem as funções de limpar nossos ouvidos, produzir as lágrimas para lubrificar os olhos, inflar os pulmões de ar e sinalizar que estamos cansados ​​ou entediados. Até os fetos bocejam no útero para esculpir a dobradiça de suas mandíbulas e ajudar a desenvolver os pulmões. O bocejo refresca o cérebro e aumenta o estado de alerta. Já o bocejo contagioso é um fenômeno que sincroniza os grupos humanos. “Bocejos contagiosos conduzem uma onda correlacionada de fisiologia e de emoção, transformando os membros do grupo em um superorganismo coletivo”, escreve.

Risada

Risada

Os chimpanzés já respondiam aos estímulos uns dos outros com uma risada e isso é um indício de como o riso evoluiu em humanos. “O riso é, literalmente, o som ritualizado da respiração”, escreve Provine. Ele considera o riso uma onomatopeia dos primatas. Primeiro veio um riso ofegante nos ancestrais comuns de chimpanzés e humanos durante atividades físicas, que evoluíram para a ritualização do riso como um símbolo vocal do jogo, seguido pela versão humana do som (“ha-ha”). Nos bebês, ele traduz uma sensação agradável. Apesar de relacionarmos o riso com a comédia, cerca de 80% dos risos humanos, de acordo com Provine, não são em resposta a piadas, mas para declarações banais. “Isso nos diz que o riso é mais uma ferramenta de relacionamento do que de humor”, afirma.

Lágrimas de emoção

Lágrimas de emoção

Os bebês choram para conseguir o que querem e os adultos derramam lágrimas quando estão tristes. Mas será que é sempre assim? As lágrimas contêm uma substância química natural chamada fator de crescimento neural, que pode ajudar na cura das feridas oculares. O que começou como um cuidado medicinal também pode ter ajudado povos antigos a mostrarem aos companheiros de tribo que estavam tristes e necessitavam de ajuda. As lágrimas emocionais são um fenômeno exclusivamente humano e revelam aos outros que estamos tristes, o que muitas vezes provoca ajuda ou empatia. Pessoas que perdem a capacidade de chorar por causa de condições de saúde ou medicamentos não conseguem sinalizar sua tristeza sem recorrer às palavras, uma atitude difícil quando você está extremamente emocionado.

Espirro

Espirro

Os espirros possui semelhanças com um bocejo rápido, o que aponta para uma ligação evolutiva entre eles. Bocejar é um ato presente na maioria dos animais e mostra-se mais cedo no desenvolvimento humano, podendo ter evoluído em primeiro lugar. Já os espirros podem ter surgido a partir do bocejo com a inclusão de secreções secas e patógenos potenciais do nariz. Um quarto dos adultos têm uma tendência hereditária a espirrar quando expostos a uma luz brilhante, um fenômeno conhecido como reflexo de espirro fótico. Para alguns, o espirro induzido pela luz não tem sentido neurológico, mas Provine sugere que ele acontece como um “ritual do amanhecer”, proporcionando uma limpeza nasal diária. O fato de o espirro fótico não se repetir em um curto espaço de tempo parece apoiar essa teoria desencadeada diariamente pelo sol ou uma luz artificial.

Coceira

Coceira

“O ato de coçar a pele é, biologicamente, um ato de defesa“, disse Provine. Segundo ele, a pele é a nossa primeira linha de defesa contra doenças e devemos prestar atenção aos seus sinais. A coceira pode ser uma resposta a pulgas, piolhos, carrapatos, moscas e mosquitos transmissores de doenças, assim como a insetos venenosos e espécies tóxicas de plantas. Nossa pele também usa o sinal de coceira para chamar a atenção para condições como eczema, doença da tireoide, diabetes, icterícia e até mesmo tumores cerebrais. Só não precisa exagerar e sair todo arranhado.

Vômito

Vômito

Sua função é expelir substâncias nocivas de nosso corpo. Mas a visão ou o cheiro do vômito, ou até mesmo as fezes, da urina e até do sangue nos provoca repulsa justamente por estarem associados a substâncias que podem desenvolver doenças. Por isso, o vômito pode ser contagioso. Nestes casos, vomitar torna-se um aviso para livrar as pessoas ao redor de patógenos potenciais antes que possam causar danos piores. Pensando assim, as ânsias até têm um preço modesto quando sua ação pode proteger alguém de possíveis doenças.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s