A Tentação de Existir, segundo Emil Cioran

ac15606f-b4e7-4d37-9dbe-dd6d85c11d05_Grove

A Tentação de Existir, Emil Cioran

“Por covardia substituímos o nada pelo sentimento do nada . É que geralmente o nada nos deixa inquietos. Vemos nisso uma promessa, uma ausência, um impasse que se abre . Por muito tempo, estive obstinado em encontrar alguém que soubesse tudo sobre si mesmo e sobre os outros: um sábio-demônio, divinamente clarividente . Toda vez que acreditava ter encontrado alguém, acabava mudando de opinião. O eleito tinha alguma mancha, um ponto negro, não sei…. Um traço de inconsciência ou de fraqueza que o rebaixava ao nível do ser humano… Sentia neles traços de desejo ou esperança, ou algum resíduo parecido. Seu cinismo era manifestamente incompleto. Que decepção! ”

E. M. Cioran

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s